Capítulo X - Sistemas

No SEI há a possibilidade de configurar os sistemas externos que podem acessar os serviços disponibilizados. Antes disso, é necessário cadastrar o sistema e realizar a associação com os respectivos serviços, sendo possível indicar o tipo de processo, de documento e as unidades permitidas. Os serviços são descritos em formato XML, em um padrão denominado Web Services Description Language (Linguagem de Descrição de Serviços Web). Além de descrever os serviços, esse padrão especifica como acessá-los e quais operações ou métodos estão disponíveis.

Criação e Manutenção de Sistemas

DEFINIÇÕES

O acesso ao Web Services Description Language (WSDL) é realizado por meio do seguinte endereço: http://[servidor php]/sei/controlador_ws.php?servico=sei.

A variável [servidor php] é o endereço web do SEI.

Os serviços do SEI estão documentados no seguinte endereço: https://softwarepublico.gov.br/social/articles/0004/7172/SEI-WebServices-v3.0.pdf.

Ressalta-se que essa documentação é bastante técnica e destinada a profissionais de Tecnologia da Informação.

PARÂMETROS NECESSÁRIOS

Nome Descrição
   
   
   
   
   
   

IMPLEMENTAÇÃO

Ação caminho Sistema
Listar sistemas Menu Principal / Administração / Sistemas SEI
Cadastrar novo sistema Menu Principal / Administração / Sistemas / Novo SEI
     

 

DETALHES DA IMPLEMENTAÇÃO

Serviços

DEFINIÇÕES

Primeiro cadastramos o sistema e dentro dele, acessamos a opção serviços, onde faremos as parametrizações.

Dúvida: definir que serviços vamos utilizar e em qual sistema ele se encontra.

PARÂMETROS NECESSÁRIOS

Nome Descrição
   
   
   
   
   
   

IMPLEMENTAÇÃO

Ação caminho Sistema
Acessar serviços Menu Principal / Administrar / Sistemas / Serviços SEI
     
     

 

DETALHES DA IMPLEMENTAÇÃO

Campos a serem preenchidos:
Identificação: o campo é informado na chamada do WebService e é de preenchimento obrigatório.

Descrição: deve-se colocar uma descrição do serviço utilizado pelo sistema, ou seja, a especificação do objetivo do serviço. Não é de preenchimento obrigatório.

•  Servidores: deve-se preencher com os endereços IP que poderão acessar o serviço e é de preenchimento obrigatório. O SEI valida se o serviço está sendo chamado por um dos endereços informados nesse campo, retornando “Acesso Negado” se não encontrar. Além disso, é lançado um registro na tabela “infra_log”, informando qual servidor tentou acessar o serviço. Dependendo da configuração da rede, pode ser necessário informar o nome e o IP do servidor na lista. É permitido o uso de até um caractere curinga no nome do servidor, por exemplo “10.100.50.*”. Se apenas o “*” for cadastrado, então qualquer máquina estará liberada para acesso.

 

Vídeo Tutorial - Enap

 

Monitoramento de Serviços

DEFINIÇÕES

A funcionalidade “Monitoramento de Serviços” refere-se a um relatório dos serviços utilizados pelos sistemas e possui os seguintes filtros: “Sistema”, “Serviço”, “Operação”, “Período” e “Tipo”. Ressalta-se que o único filtro de seleção obrigatória é o “Tipo”.

Um dos objetivos do “Monitoramento de Serviços” é a verificação da chamada de serviços utilizados pelos sistemas cadastrados.

O “Monitoramento de Serviços” é apresentado de duas maneiras:

Monitoramento Resumido
Os resultados contêm as seguintes informações:
 Sistema
 Serviço
 Operação
 Quantidade
 Tempo Médio


Monitoramento Detalhado
Os resultados contêm as seguintes informações:
• Data/Hora
• Tempo
• Detalhes
 Sistema
 Serviço
 Operação
 IP de Acesso
 Servidor
 User Agent

PARÂMETROS NECESSÁRIOS

Nome Descrição
   
   
   
   
   
   

IMPLEMENTAÇÃO

Ação caminho Sistema
Monitoramento de Serviços Menu principal / Administração / Sistemas / Monitoramento de Serviços SEI
     
     

 

DETALHES DA IMPLEMENTAÇÃO