Solução OCR em OVA

Introdução

Este documento visa a orientação sobre as configurações aplicadas na máquina virtual (VM) da solução OCR versão 1.2.1 Serão apresentadas as configurações de sistema, particionamento, rede, usuários e particularidades da solução OCR.

As CGTIs devem alterar configurações para satisfazer suas necessidades locais. A DADT entrega uma versão simplificada e funcional, com exemplos, demonstrando o serviço. À partir da entrega da VM, a CGTI fica responsável por sua manutenção e uso. Não se responsabilizando a DADT por eventuais problemas decorridos de alterações realizadas pelas coordenações locais de TI dos campi.

Características da VM

  • VM Version: 8
  • CPU: 2 vCPU
  • Memória: 1024 MB
  • Disco provisionado: 5 GB

O tamanho do disco é pequeno para facilitar o download e implantação da solução. Recomenda-se fortemente que o disco seja expandido para evitar falta de espaço em algumas partições.

  • Sistema operacional: Debian 9.1, 64 Bits
  • Sistema de armazenamento: LVM (Logical Volume Management). Utilizado por permitir flexibilidade na extensão das partições – útil para quando os discos ficam cheios e for necessário expandi-lo.

O volume físico está em /dev/sda5:

$ sudo pvs

PV         VG Fmt Attr PSize PFree

/dev/sda5  linux lvm2 a--  4,52g 0

Apresenta grupo de volumes (linux) com um volume físico e três volumes lógicos:

$ sudo vgs

 VG    #PV #LV #SN Attr   VSize VFree

 linux   1 3 0 wz--n- 4,52g    0

Volumes lógicos são root, srv e swap:

$ sudo lvs

 LV   VG Attr       LSize Pool Origin Data%  Meta% Move Log Cpy%Sync Convert

 root linux -wi-ao----   3,11g

 srv  linux -wi-ao---- 956,00m

 swap linux -wi-ao---- 488,00m

Visão geral do sistema de arquivos:

$ df -hP

Sist. Arq.              Tam. Usado Disp. Uso% Montado em

udev                    487M 0 487M 0% /dev

tmpfs                   100M 4,6M 96M 5% /run

/dev/mapper/linux-root  3,0G 2,2G 725M 75% /

tmpfs                   499M 0 499M 0% /dev/shm

tmpfs                   5,0M 0 5,0M 0% /run/lock

tmpfs                   499M 0 499M 0% /sys/fs/cgroup

/dev/mapper/linux-srv   925M 2,4M 859M 1% /srv

/dev/sda1               472M 37M 411M 9% /boot

tmpfs                   100M 0 100M 0% /run/user/1000

  • Configurações de rede. Os IPs devem ser trocados de acordo com a rede de cada campi:

$ nano /etc/network/interfaces

# A interface de loopback

auto lo

iface lo inet loopback

# A interface de rede primaria

auto ens33

allow-hotplug ens33

iface ens33 inet static

      address 172.16.1.10/24

      gateway 172.16.1.1

      dns-nameservers 172.16.1.6

      dns-search ifpe.edu.br

Informações das interfaces:

$ ip a

1: lo: <LOOPBACK,UP,LOWER_UP> mtu 65536 qdisc noqueue state UNKNOWN group default qlen 1

   link/loopback 00:00:00:00:00:00 brd 00:00:00:00:00:00

   inet 127.0.0.1/8 scope host lo

      valid_lft forever preferred_lft forever

   inet6 ::1/128 scope host

      valid_lft forever preferred_lft forever

2: ens33: <BROADCAST,MULTICAST,UP,LOWER_UP> mtu 1500 qdisc pfifo_fast state UP group default qlen 1000

   link/ether 00:0c:29:94:08:8d brd ff:ff:ff:ff:ff:ff

   inet 172.16.1.10/24 brd 172.16.1.255 scope global ens33

      valid_lft forever preferred_lft forever

  • Usuários ativos. Sugere-se a troca das senhas:

Usuário

 Senha

cgti

*@tif0cr

root

&_p0i3TJ

Grupos ativos:

Grupo

Usuário membro

cgti

cgti

root

root, cgti

sudo

root, cgti

  • O diretório mapeado como exemplo para OCR é /srv/shares/cgti/ocr/entrada/. A CGTI deve criar os novos diretórios e mapeamentos de acordo com a sua necessidade.

A estrutura dos diretórios:

$ tree /srv

/srv

└── shares

   ├── cgti

      └── ocr

          ├── entrada

          ├── originais

          └── saida

Trigger do Watchman criada para o diretório em questão:

$ cat /usr/local/var/run/watchman/root-state/state

{

   "watched": [

       {

           "triggers": [

               {

                   "command": [

                       "/srv/doOcr.sh"

                   ],

                   "expression": [

                       "anyof",

                       [

                           "match",

                           "*.pdf",

                           "wholename"

                       ]

                   ],

                   "stdin": [

                       "name",

                       "exists",

                       "new",

                       "size",

                       "mode"

                   ],

                   "name": "ocrTrigCgti",

                   "append_files": true

               }

           ],

           "path": "/srv/shares/cgti/ocr/entrada"

       }

   ],

   "version": "4.9.0"

}

Arquivo do Watchman para configuração presente de forma obrigatória no diretório “entrada”:

$ cat /srv/shares/cgti/ocr/entrada/.watchmanconfig

{"settle": 10000}      

Como importar a VM no ambiente VMWARE

Neste método de importação será utilizado o ambiente vSphere Client versão 6.0.0, disponível em https://kb.vmware.com/s/article/2089791. O ESXi utilizado é da versão 6.5.0. Certifique-se de ter instalado o vSphere Client na sua máquina para ter sucesso neste método.

Baixe a OVA: https://drive.google.com/file/d/1E20S31VW41_Pu9jc_MTfURKJRmmmmi2C/view?usp=sharing

Realize o login no ambiente com suas credenciais:

 image7.png

Após logar, clique em File e em seguida, clique Deploy OVF Template:

image2.png

Na próxima janela, clique em Browse para procurar o arquivo OVA:

image9.png<>

Selecione o arquivo e clique em Abrir:

image1.png

Na próxima janela clique em Next, e observe os detalhes da VM:

image4.png

Selecione o nome desejado para VM e clique em Next.

image5.png

Selecione o storage do ESXi no qual os arquivos do objeto da VM serão armazenados e clique Next. Na janela seguinte, clique Next mais uma vez.

image11.png

Agora realize o mapeamento da rede interna criada no ESXi. Na coluna Destination Networks deverá existir o nome da rede aplicada no ESXi local, selecione apropriadamente de acordo com o seu ambiente. No caso em tela, a rede de destino possui o mesmo nome.

image3.png

Estamos quase lá, agora observe as configurações selecionadas. Clique em Finish quando tiver certeza do que será aplicado.

image10.png

A VM começará a ser importada:

image12.png

A operação pode levar algum tempo. A seguinte tela surge quando concluído.

image6.png

Pronto, a VM está pronta para uso.

image8.png